XAMANISMO


O xamanismo é uma experiência de êxtase religioso que busca no próprio interior o desvendamento dos mistérios do universo, da vida e da morte e do sentido da existência. Ele é a busca de um despertar de consciência, em todo aquele que busca em si e no universo, as expressões e manifestações do divino. Constitui-se como uma experiência de reconexão, de religação entre o céu e a terra.
- Emílio Dias, participante do programa de aproximação à cultura Yawanawa

O Xamanismo não conhece fronteiras, nem nacionais, nem tribais. No Brasil, a prática ficou conhecida como pajelança. Estes fenômenos são rituais ligados à religião tradicional do índios que busca a cura pelas ervas e pelos espíritos. O ritual exige cânticos sagrados, encontro com espíritos e defumação ou ‘benzedura’. Utilizam-se bebidas sagradas que levam a um estado alterado de consciência, necessário para que o contato com o mundo espiritual se faça possível, sob o direcionamento do curandeiro, que recebe diferentes nomes tais como xamã, pajé, sacerdote, feiticeiro, entre outros.

Um papel de suma importância na religião é o do pajé, escolhido pelos espíritos para ser mediador entre os dois planos. Através da reza, ele pede aos espíritos que se manifestem e curem os enfermos. O pajé mistura magia e sabedoria, conhecendo os dois mundos, tanto o material como o espiritual.

Este projeto registou um ritual de pajelança realizado por integrantes da tribo Yawanawa, que habita aldeias na Área Indígena do Rio Gregório em Tarauacá, Acre, e estima-se que a sua população seja de 480 pessoas. O povo Yawanawa é formado por diferentes grupos, alguns destes já extintos. Etimologicamente, yawa significa queixada e nawa, povo. Desde 1992, “o povo da queixada” vem se organizando de forma a garantir alternativas de sobrevivência, com a exploração de produtos ecologicamente viáveis como urucum e o beneficiamento da borracha.

Em 2009, o Instituto de Educação Ambiental Floresta Viva em parceria com o Centro de Formação e Memória do Povo Yawanawa desenvolveu uma série de encontros entre a comunidade indígena Yawanawa e centros do Santo Daime do centro-oeste e sudeste do Brasil. O programa teve como objetivo colaborar para a formação da consciência ecológica e ambiental e valorização das tradições culturais dos povos da floresta. Ao passarem por Pindamonhangaba, a vida cotidiana, as lendas e tradições culturais do povo Yawanawa puderam ser compartilhadas, bem como os rituais conhecidos como pajelanças.


MHK

 


Candomblé

 


Bruxaria

 


Santo Daime

 


Umbanda